Foi realizado no dia 10 de junho, em Bragança Paulista, a apresentação de pesquisas no âmbito da ANC, incluindo temas como a comercialização em feiras, hábitos de consumidores e os Sistemas Participativos de Garantia- SPGs. Segundo Dercílio Pupin, presidente da associação, foi um momento histórico. Ele vê a possibilidade de serem montados projetos de pesquisa institucionais e em conjunto com outros pesquisadores.

fotoPesquisa

Lisa Tassi, Giovana Fagundes, Carolina Thomson, Dercílio Pupin e Clara Camargo

Giovana Fagundes, da rede de Agroceologia da UNICAMP apresentou diversas pesquisas realizadas pela rede, colaboradores e estagiários, como um estudo comparativo de preços em feiras orgânicas e convencionais. Também colocou sobre a importância de levantarmos as demandas de pesquisa junto aos produtores rurais. Lisa Tassi também fez um relato de sua pesquisa concluída em 2011, onde foram mapeados os circuitos de comercialização da região de Campinas que inclui o coletivo de consumidores Trocas Verdes.

O Sistemas Participativos de Garantia da ANC foi o tema da pesquisa de Carolina Thomsom. A pesquisadora afirma que o SPG da ANC superou os reducionismos de um mecanismo de controle, apesar da burocracia ainda ser apontada como o principal empecilho para a potencialização de suas vantagens, além dos custos administrativos. Afirma também que as dificuldades dos SPGs são comuns, uma delas é que não é possível ao produtor exportar sua produção.

Ainda sobre os SPGs, Clara Camargo fez um estudo comparativo dos cinco primeiros SPGs credenciados no Brasil. Ela constatou em sua pesquisa que o SPG oferece maior credibilidade do que a certificação por auditoria, citando o relato de produtores: “É muito mais fácil enganar um técnico do que os pares”.

Pupin ressaltou a importância de que seja dado continuidade às pesquisas na área e sugere que seja organizado uma “central” para transferencia de informações. Ele também informou que está sendo criada uma “Escola de empreendedorismo orgânico” com envolvimento de países da América Latina, que não será uma escola acadêmica, e sim de vivência. Produtor para produtor. Ela deverá atender a dois públicos: filhos de agricultores e os novos rurais, incluindo aí lojistas que fazem a ponte com o campo.

Na página PESQUISAS (http://anc.org.br/pesquisas/) em nosso site estão disponíveis todos os resumos apresentados, dentre outros trabalhos relevantes!

Aconteceu: Apresentação de Pesquisas no âmbito da ANC